sábado, maio 02, 2009

É possível louvarmos a Deus no meio da tribulação?

É possível cantar quando tudo ao nosso redor se encontra em profunda escuridão? E, quando a dor bate em nosso coração?
É possível louvar a Deus na cela de uma prisão, arrasado pela vida e pelas circunstâncias? Por que diante das dificuldades temos reações das mais diversificadas? O que leva uns a louvarem e outros a suicidarem?
Veja o que diz Atos 16.25-34:
" 25 E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam.
26 E de repente sobreveio um tão grande terremoto, que os alicerces do cárcere se moveram, e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos.
27 E, acordando o carcereiro, e vendo abertas as portas da prisão, tirou a espada, e quis matar-se, cuidando que os presos já tinham fugido.
28 Mas Paulo clamou com grande voz, dizendo: Não te faças nenhum mal, que todos aqui estamos.
29 E, pedindo luz, saltou dentro e, todo trêmulo, se prostrou ante Paulo e Silas.
30 E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar?
31 E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa.
32 E lhe pregavam a palavra do Senhor, e a todos os que estavam em sua casa.
33 E, tomando-os ele consigo naquela mesma hora da noite, lavou-lhes os vergões; e logo foi batizado, ele e todos os seus.
34 E, levando-os à sua casa, lhes pôs a mesa; e, na sua crença em Deus, alegrou-se com toda a sua casa."
O primeiro ponto que desejo abordar, é que era meia-noite e só havia trevas lá fora. mas, dentro da prisão não era muito diferente. Paulo e Silas tinham sido impelidos pelo Espírito Santo para irem a Macedônia apregoar o Evangelho de Cristo. O que eles realmente não sabiam é que lá enfrentariam muitas oposições. Por conta da obediência irrestrita que eles tiveram a Deus, foram parar num cárcere. Lá foram extremamente martirizados. E, por fim, como se já não bastasse, foram colocados num tronco com vários grilhões que os impossibilitavam de se locomoverem. Seus corpos estavam cheios de feridas abertas, o sangue escorria em suas faces. Tudo estava escuro e o futuro não era nada promissor. Mas, a Bíblia diz que mesmo assim eles ORAVAM E CANTAVAM ao Senhor. Nos momentos de dor e desespero, experimente louvar ao invés de murmurar ou se desesperar. O louvor e a oração nos momentos bons são maravilhosos, mas, nos momentos de adversidade, deverão ser infinitamente melhores. Lembre-se que em nossos corações habita a presença gloriosa de Deus e é Ele quem nos faz crer que tudo o que aconteça de bom ou ruim é para o nosso bem(Rm 8.28).

Deus ouviu e presenciou o clamor e o louvor de Paulo e Silas naquela meia-noite atormentada e permitiu que um terremoto sacudisse os alicerces daquela prisão. Você talvez esteja passando pela meia noite da sua vida, e simbolicamente esteja como eles, sangrando, ferido. Já não sabe mais para onde ir e quem a recorrer. Experimente clamar a Deus agora! Deus não rejeita um coração quebrantado. Sempre na hora certa Ele manifesta o Seu poder ao nosso favor. Espero que Deus manifeste um terremoto na sua vida enquanto você esteja meditando nesta mensagem! E, que produza a mudança de que você precisa!
Voltemos ao episódio de Paulo e Silas. Após o terremoto, diz a Bíblia que os alicerces da prisão foram removidos e os grilhões que atavam os seus pés foram quebrados. A reação dos discípulos foi de grande alegria tamanho o milagre por eles recebido. Mas, em contrapartida, o carcereiro ficou completamente desesperado... Agora era a a sua meia-noite. Mas, como vimos, as atitudes destes homens, diante das adversidades foram bem diversificadas: os discípulos optaram em orar e louvar a Deus enquanto o carcereiro deidiu tirar a sua própria vida! O que os diferenciavam? as circunstâncias? os problemas? Definitivamente NÃO! A diferença é que Paulo e Silas tinham a presença de Jesus Cristo em suas vidas e o carcereiro não. Mas, o nosso Deus sempre nos surpreende. Naquele momento, a beira dos suicidio e da loucura, o Amor de Deus o alcançou! E, os meios a quem Deus usou para que o Seu amor chegasse até aquele pobre homem foi Paulo e Silas. Isto nos mostra que há muitos carcereiros prontos para cometerem o "suicídio", esperando tão somente a salvação em Cristo Jesus, que será anunciada através de você!

Transmita o que o versículo 28 de Atos 16 diz:
" Não faça isso! Não desista! Estamos aqui!

Analisemos agora os dois aspectos desse texto:

Primeiro, a pergunta do carcereiro. Segundo, a resposta dos discípulos.
Versículo 30: " Senhores, que farei para ser salvo?

O carcereiro não estava fazendo perguntas como: o que farei para arrumar um novo emprego?
ou o que farei para crescer mais profissionalmente ou ministerialmente?
ou o que farei para sair deste leito de dor em que me encontro?

Se você puder trabalhar honestamente e prosperar; se puder estudar bastante e conseguir um excelente emprego e formação; se puder fazer todas estas coisas e muito mais neste mundo, será muito bom! Entretanto, não são as mais relevantes.
O carcereiro fez a pergunta mais importante que um homem possa fazer: " - Senhores, que farei para ser salvo? Esta pergunta revela que ele estava consciente de sua situação. Deus não pode fazer nada por aquele que pensa que está tudo bem. Veja, o primeiro passo é reconhecer que estamos perdidos. Que precisamos de Jesus em nossa vida. Eu não sei como este homem chegou a este pensamento. Talvez tenha sido pela atitude humilde de Paulo e Silas enquanto eram martirizados. Talvez, pelo louvor deles em meio ao sofrimento naquela prisão ou até mesmo pelo medo do terremoto ou da morte. Na verdade, eu não sei ao certo o que foi, mas, Deus sempre age em Sua eterna sabedoria ao nosso favor. Ele sempre chega no momento certo!

A resposta dos discípulos diante daquela inusitada indagação foi:

"- Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo tu e a tua casa!"

Esta também é a resposta que Deus nos dá agora! Só Jesus pode trazer luz a esta escuridão em sua vida!
Amém!






Por Joice Apicelo, pastora
Mensagem pregada no dia 21 de Abril de 2009, na inauguração da Marca de Cristo em Parque Paulista.

Um comentário:

claudia cacau disse...

...Como é importante manter em nossos lábios o louvor a Deus.Sei que quando as coisas nos vão bem, louvamos e glorificamos ao Senhor constantemente.Porém,quando nos deparamos com situações de dor e provações não é uma tarefa fácil,como imagino que não foi fácil para aqueles homens feitos de carne e osso como nós. Mas eles, nos deram um grande exemplo; Eles louvaram a Deus...Simplismente adoraram a Deus...E o Senhor Deus fez com que eles vivenciassem mais um grande milagre em suas vidas...mas o mais surpreendente estava por acontecer...A postura daqueles homens contribuiu para a salvação daquele carcereiro e toda sua família. Que todos a nossa volta possam também ouvir de nossos lábios palavras de vida e amor, e muitos louvores sinceros a Deus. E que possamos alcançar muitas vidas para a Glória de Cristo Jesus. Amém Obrigada por esta mensagem que edificou muuuito a minha vida.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails